Especiais
Esqueça o estilo de seu time: o 15 é diferente

Colorados e gremistas que forem ao Olímpico torcer pelo 15 de Novembro, hoje à noite, verão um time bem diferente de Inter e de Grêmio. Em vez de se guiar pelo jeito de jogar do inimigo, assistirão ao inverso. Em vez de apostar no erro do adversário, a regra é buscar o próprio acerto. Em vez de temores defensivos, coragem de atacar. Não haveria razão para mudar logo no dia de disputar vaga na final da Copa do Brasil.

- Seria uma violência mudar a nossa característica agora. Foi jogando assim que adquirimos confiança. Os times brasileiros, especialmente os grandes, precisam parar de só apostar no erro do adversário e pensar em construir seu próprio jogo - resumiu o técnico Mano Menezes.

O 15 de Novembro chegou à Capital por volta de 17h30min. Estava concentrado em Canela, na Serra. A direção não economizou: hospedou os jogadores em um luxuoso hotel no bairro Praia de Belas. Não há mistérios. A única dúvida está no ataque: Belmonte ou Bebeto? O titular Bebeto se recupera de lesão muscular. Tem apenas 70% de condições físicas. Mano Menezes vai decidir o que é melhor: Bebeto descontado ou Belmonte inteiro. A tendência é sair jogando com Bebeto.

Como vitória, empate e derrota por um gol de diferença até 3 a 2 classificam o 15, a tática é apostar no contra-ataque, certo? Errado:

- Não posso dizer para os jogadores que o Santo André é um bicho-papão. Nós ganhamos lá. Respeitamos, mas sem exageros.

O maior cuidado será a bola aérea. O goleiro Marcelo Pitol admitiu que o grupo viu fitas do Santo André na Série B do Brasileirão e constatou que não foi acaso a classificação em cima do Palmeiras com cruzamento para a área.

- Passamos a semana treinando posicionamento na bola parada. É a arma deles - revelou Pitol, para em seguida perguntar com ansiedade. - Vai ter muita gente? Quantos ingressos já venderam?

----------
Fonte: Zero Hora
Data de publicação: 09/06/2004


• Especiais Anteriores
• Vídeos

 Roda Viva: Mano diz que é contra teto salarial